Pandemia-2020

Coronavírus: o mercado clandestino de testes

Intercept Brasil
De acordo com o The Intercept Brasil, há empresas que criaram naquele país um mercado ilegal, procurando o lucro através da venda ilegal de testes rápidos para o coronavírus.

A jornalista que fez a investigação, Nayara Felizardo, localizou pelo menos duas empresas, a Ubuntu, de São Paulo, e a Biolar, de Rondônia, que anunciam ofertas de testes irregularmente. Segundo ela, a Ubuntu ainda não tem registro da Anvisa para comercializar, mas já anunciou a pré-venda.

A Biolar fornece até para uso pessoal.  O problema é que, segundo a Anvisa, o autoteste para covid-19 é proibido, “não havendo espaço para oferta de produtos que possam ser utilizados pelo público leigo“.

Além de ilegal, a venda é preocupante porque a chance de erro no diagnóstico é muito alta. Mesmo nos produtos autorizados pela Anvisa, o Ministério da Saúde detectou uma chance de 75% de erro nos resultados negativos e 14% nos resultados positivos.

LEIA A MATÉRIA COMPLETA →

FOZ - Guadiana Digital