Mar Profundo
Economia foz-destaques

Guadiana já tem estaleiro para a ciência do Mar

Com a cerimónia de bota-abaixo testemunhada ontem pelo ministro da ciência os estaleiros da Nautiber, em Vila Real de Santo António. entraram numa nova fase da sua laboração, marcando a entrada na construção de navios científicos para a pesquiza em águas do mar profundo, tendo por madrinha Helena Pereira, presidente da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).

«Mar profundo» é assim mesmo que  está nomeado o primeiro navio com essa finalidade, uma embarcação capaz de testar a tecnologia de ponta desenvolvida no nosso País e que qualifica a Nautiber como empresa capaz de participar neste nicho especializado da construção naval.

O navio deslizou no carro para as águas mansas do rio Guadiana,  atestando desde logo a flutuabilidade. Terá a missão de testar novas tecnologias na área das ciências marítimas, como robots, sensores e veículos submarinos não tripulados. Vai ser utilizado acima de tudo pelo Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) da Universidade do Porto e pelo Centro de Investigação Tecnológica do Algarve (CINTAL) da Universidade do Algarve, mas também por outras entidades académicas.

Foi construído durante a pandemia, atestando a resistência do mundo do trabalho à adversidade, tendo a construção demorado cerca de um ano.

Rui Roque, responsável pelo estaleiro e pela empresa afirmou aos jornalistas que a obra era de grande importância para a empresa «porque pode abrir-nos outros mercados que até agora, sem executar e sem fazer algo assim, possivelmente, não teríamos acesso. Esta oportunidade que o INESC TEC nos deu é fundamental para a nossa indústria»

Salientou que está criado um produto específico, vendável lá fora. Lembrou que a empresa já tinha realizado outros trabalhos, mas não com uma embarcação tão especializada. «É a nossa entrada no segmento da ciência», confirmou.

A cerimónia de «bota-abaixo» contou com a presença de Manuel Heitor, ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; José Apolinário, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve; José Manuel Mendonça, professor catedrático no Departamento de Engenharia e Gestão Industrial da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e presidente do Conselho de Administração do INESC TEC; de Paulo Águas, Reitor da Universidade do Algarve; e de Helena Pereira, presidente da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) , madrinha do «Mar Profundo»  marinheira com curso de Patrão de Costa.

A embarcação foi financiada pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), através do Programa Operacional Regional do Norte, e pela FCT através de fundos nacionais.

Muito trabalho ainda por fazer

O «Mar Profundo» ainda não está pronto, falta a instalação de computadores e outros meios de apoio à missão que se destina, permitir dar um salto muito grande para testar se aquilo que foi feito em tanque no laboratório está ou não, funcional para a função que foi projetada. Os robots são do tipo AUV (Autonomous Underwater Vehicle) e ROV (Remotely Operated Vehicle) para a exploração dos recursos da plataforma marinha, assim como vários tipos de sensores.

O «Mar Profundo» terá «computadores a bordo, um sistema de comunicação e duas plataformas de acesso ao mar. Terá também uma grua e plataforma móvel e pode testar se os robots conseguem localizar e chegar a recursos. Prevê-se que entre ao serviço em Setembro, cento e cinquenta dias por ano,  Tem 19 metros por 7 de boca, permitindo a presença de oito investigadores a bordo, mais três a quatro tripulantes. Tem uma autonomia até três dias no mar antes de voltar a um porto..

A Nautiber foi escolhida em concurso público, emprega diretamente setenta pessoas e mais dez subcontratadas. Em média, a empresa entrega dez embarcações por ano, o que representa uma faturação média de sete milhões de euros. Neste momento de incerteza e da crise mundial, o estaleiro tem encomendadas catorze embarcações já em construção, sendo oito para exportação e as restantes para o mercado nacional, revelou Rui Roque aos jornalistas presentes.

Bota-Abaxio do Mar profundo
%d bloggers like this:
x Logo: Shield Security
Este Site é Protegido Por
Shield Security