Obras da Estação Biológica de Mértola

mértola elisa ferreia

A Estação Biológica de Mértola – Centro de Valorização e Transferência de Tecnologia (EBM) é uma unidade de valorização e de transferência tecnológica focada nas áreas da biologia ambiental e da biodiversidade, da agroecologia, da gestão de recursos silvestres e da cinegética.

A Comissária Europeia Elisa Ferreira e a ministra Ana Abrunhosa marcaram presença na cerimónia do arranque das obras da futura sede da Estação Biológica de Mértola

“Este projeto é especial” e “cada vez mais precisamos de projetos destes para que a Europa seja uma Europa de todos e não uma Europa de alguns”. Foi com estas palavras que a Comissária Europeia Elisa Ferreira se dirigiu a todos os que se encontravam presentes no Salão Nobre dos Passos do Concelho, na cerimónia que assinalou o início das obras da futura Estação Biológica de Mértola – Centro de Valorização e Transferência de Tecnologia (EBM). Elisa Ferreira acrescentou ainda que, “este é um projeto simbólico e exemplar”, que pode “estimular e ser o motor para o desenvolvimento” de uma região com potencialidade, mas que “não tem conseguido gerar suficientes oportunidades de emprego e trabalho aos jovens”. Para a Comissária Europeia a Estação Biológica de Mértola é um projeto visionário, um grande exemplo de estratégia inteligente de coesão territorial, aliando atração de investidores, transmissão de conhecimentos, investimento, criação de emprego, preservação do património e envolvimento de todos e da sociedade em geral.

Para Ana Abrunhosa, Ministra da Coesão Territorial, “este projeto mostra como estamos a investir bem os fundos de coesão” e “esperamos que seja inspiração para outros territórios”, Ana Abrunhosa reforçou ainda a ideia de “ser necessário multiplicar exemplos como a EBM em Portugal, assim como “não desistir” e “acreditar sempre que não há territórios condenados”.

Para Isabel Ferreira, Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, a Estação Biológica de Mértola é um projeto cientifico internacional que visa combater esse grave problema que a todos diz respeito, as alterações climáticas.

Sendo igualmente um projeto que futuramente irá de igual modo criar empregos qualificados e deste modo promover o interior da nossa região e do País.

Palavras aplaudidas e que fazem eco da opinião e esperança do Presidente da Câmara Municipal de Mértola, Mário Tomé, que na sua intervenção afirmou “Este é um projeto que irá ultrapassar fronteiras, não só as locais, mas as regionais e internacionais.” O autarca disse ainda “não ter dúvidas que este será um projeto de referência.”

Tem como principal objetivo apoiar e promover a investigação científica e a transferência de tecnologia de suporte a estratégias de transição (agro)ecológica, com enfoque na regeneração dos ecossistemas, particularmente, os situados em contextos de baixa densidade, de clima semiárido e árido mediterrânico, vulneráveis aos fenómenos da desertificação e das alterações climáticas.

O projeto, resultante de uma parceria entre o Município de Mértola e o CIBIO InBio – Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade do Porto, está integrado numa candidatura ao Portugal 2020 queprevê o apoio à reabilitação do edifício dos antigos Silos da EPAC em Mértola, edifícios que acolherão os laboratórios, áreas de co-working e as áreas sociais da Estação Biológica de Mértola.

Numa estratégia de lançamento e organização de toda a atividade da EBM, foi criada em abril de 2022 a Associação sem fins lucrativos, Estação Biológica de Mértola que integra além do Município de Mértola e do CIBIO, a Universidade do Porto e a EDIA S.A. A EBM que já se encontra a funcionar em instalações provisórias cedidas pelo Município de Mértola, tem desenvolvido, deste então, um conjunto de projetos e colaborações com várias entidades do setor académico e empresarial.