Memória

O sismo de 1969

Sismo de 1969
No dia 28 de Fevereiro de 1969, cerca das 02:40 horas, ocorreu um sismo de magnitude 7,3 na escala de Richter, tendo o hipocentro localizado a Sudoeste do cabo de S. Vicente, na planície da Ferradura.

Texto de João Horta publicado em SAFEPLACE52

No dia 28 de Fevereiro de 1969, cerca das 02:40 horas, ocorreu um sismo de magnitude 7,3 na escala de Richter, tendo o hipocentro localizado a Sudoeste do cabo de S. Vicente, na planície da Ferradura.

Em 2019 marquei e relembrei o seu 50º aniversário, sendo o sismo que causou danos mais importantes no século XX, em Portugal Continental, depois do sismo de Benavente que ocorreu no início desse século no dia 23 de Abril de 1909.

O sismo de 1969 provocou alarme e pânico entre a população, avarias nos telefones, corte no fornecimento de energia eléctrica e, de acordo com Quintino [1970], causou 13 vítimas mortais em Portugal Continental, embora apenas 2 em consequência de danos directos causados pelo sismo, sendo as restantes originadas por doenças cardíacas agravadas pela comoção.

Uma dessas vítimas mortais encontrava-se no hospital de Sines que sofreu grandes estragos em consequência do terramoto. De acordo com Marécos & Castanheta [1970], este hospital apresentava uma estruturação de cunho “pombalino” em que as paredes de alvenaria se encontram enquadradas nas características “gaiolas” de madeira.

Neste edifício, durante o sismo, parte dos panos de alvenaria desprenderam-se dos quadros envolventes, acontecendo que um tijolo, na queda, perfurou o tecto de madeira de uma das enfermarias atingindo mortalmente um dos ocupantes.

As zonas mais afectadas por este evento foram Lisboa e o Barlavento algarvio. Em Vila do Bispo foram poucas as habitações que ficaram de pé.

Há ainda o registo de um pequeno tsunami, embora não se conheçam relatos de estragos provocados pelo mesmo.

João Horta – FIRESHELTER52

FOZ - Guadiana Digital

Adicionar comentário

Clique para comentar

Obrigado pelo comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

X