Isilda Gomes
Algarve foz-destaques

Bloco quer demissão de Isilda Gomes

O Bloco de Esquerda considera que Isilda Gomes, presidente da câmara municipal de Portimão não tem condições para continuar à frente dos destinos da autarquia, por ter passado à frente de muitos outros utentes considerados prioritários e violado os critérios de vacinação contra a Covid-19.

O Bloco de Esquerda considera que Isilda Gomes, presidente da câmara municipal de Portimão não tem condições para continuar à frente dos destinos da autarquia, por ter passado à frente de muitos outros utentes considerados prioritários e violado os critérios de vacinação contra a Covid-19.

O vereador João Vasconcelos afirmou que a presidente tem de assumir todas as responsabilidades e consequências políticas dos seus atosque as autoridades competentes devem apurar.

«A Presidente da Câmara de Portimão considera que, pelo facto, de prestar um serviço de voluntariado através de um computador, serviço a ter lugar no hospital de campanha instalado no Pavilhão Arena, lhe conferiu o direito de passar à frente de muitos outros utentes que estão à espera da vacina na lista das prioridades. Mas os critérios do plano de vacinação não contemplam o voluntariado», diz aquele partido.

E considera que é mais grave quando cerca de três dezenas de médicos estagiários e outros profissionais de saúde a trabalhar no Hospital de Portimão ainda não foram vacinados contra a Covid-19 e não sabem quando o serão.

O BE é de opinião que «os responsáveis políticos e  que exercem funções públicas devem dar o exemplo perante os cidadãos e o país. Quando assim não atuam estão a contribuir para a descredibilização da política, da causa pública e para o crescimento do populismo». Entende, ainda, que todas as cidadãs e cidadãos precisam de ser vacinados quanto antes, mas cumprindo as regras e critérios definidos, esperando a sua vez.

FOZ - Guadiana Digital

FOZ - Guadiana Digital

%d bloggers like this:
x Logo: Shield
Este Site é Protegido Por
Shield