Foz do Rio Guadiana
foz-destaques Território

Eurocidade do Guadiana com forte incidência da Covid-19

As medidas de contenção no território da Eurocidade do Guadiana - Ayamonte, Castro Marim e Vila Real de Santo António levaram as autoridades a reforçar as medidas de segurança e as restrições à circulação e a dramáticos apelos. Os autarcas pedem às pessoas que se contenham e saiam de casa para o estritamente necessário.

Ayamonte, presidida por Natália Santos anunciou o fecho do perímetro ao ultrapassar a taxa de 500 casos por cada cem mil habitantes e atingir os 816,4. Está com encerramento ao tráfego rodoviário dos acessos de entrada e saída do município e solicitou aos seus cidadãos que voluntariamente se confinem, devido ao que considerou «alarmante número de casos» de Covid-19.

As ruas encerradas são a Ronda Felipe IV, que liga à rotunda na N-447, e os acessos à rua Las Flores, e rua Ribera del Guadiana, na N-431, acesso ao polígono industrial La Escarbada.

Nos próximos 14 dias ficam encerradas as instalações desportivas, o Teatro Cardenio, o centro cultural Casa Grande, a Oficina de Turismo e o Centro Guadalinfo. Também encerram os os parques infantis e os biosaudáveis e foram suspensas as atividades das aulas municipais de Música e a Aula de Convivência, tal como o minimercado municipal. Os municípios vizinhos a Ayamonte estão também a sofrer forte incidência do novo coronavírus.

Castro Marim, presidida por Francisco Amaral. desde o início do ano tem verificado um grande e progressivo agravamento da pandemia no concelho «causado principalmente pelo relaxamento das práticas de distanciamento físico, durante e depois das festas».

O município assinala perto de 100 casos e observa que «a introdução de variantes mais contagiosas do vírus e as baixas temperaturas têm contribuído também para este agravamento», sendo que, «neste contexto é especialmente relevante a situação do Centro Infantil de Altura, com um número elevado de crianças infetadas e dos seus cuidadores, o que obrigou ao seu encerramento».

O número de casos que estão a ocorrer diariamente «está a ultrapassar a capacidade dos serviços de saúde para isolar os infetados e os seus contactos, testar os suspeitos e diagnosticar e tratar os doentes». O município lembra que os profissionais estão muito fatigados e alguns recursos, tais como as provas PCR, que são o pilar do diagnóstico, começam a escassear. De um modo geral, o sistema nacional de saúde, os centros de saúde e os hospitais, estão já para além da sua capacidade de serviço.

A autarquia apela à população, para que se proteja «com o único meio ao nosso alcance», limitando os contatos pessoais ao mínimo possível com pessoas com quem não convivam. Mesmo que sejam da mesma família, se não vivem juntos, não se juntem, não almocem juntos. Nos locais de trabalho mantenham a distância física sempre, não se juntem, não almocem juntos. Façam ao ar livre tudo o que pode ser aí feito, permaneçam em espaços fechados com outras pessoas o tempo estritamente necessário. A nossa vontade coletiva de conter a pandemia não pode fraquejar neste momento difícil.*Os casos em vigilância são dados sujeitos a consolidação de informação, que divulgaremos assim que estiverem reunidos».

Vila Real de Santo António, presidida por Conceição Cabrita interditou a circulação pelos passadiços de acesso às praias do concelho, «de forma a evitar a aglomeração de pessoas em espaços públicos e assim travar a propagação da Covid-19». Esta A restrição de acesso é feita junto às entradas dos passadiços, pelo que implicará também a proibição de circulação nestas estruturas.

Apenas podem aceder aos mesmos os proprietários e funcionários de restaurantes que ali estejam localizados e quem necessitar de se dirigir aos referidos estabelecimentos comerciais, no estrito cumprimento dos normativos legais aplicáveis, nomeadamente, para recolha de refeições em restaurantes que estejam a funcionar em regime de take away.

Também determinou a proibição de utilização de bancos de jardim, parques infantis e equipamentos públicos para prática desportiva.

Em declarações prestadas ontem à Rádio Guadiana, a presidente assinalou que até às 23.59 da véspera tinham sido assinalados no concelho 48 novos casos da Covid-19, o que significa que o concelho está a aumentar exponencialmente os casos, está-se a verificar que a infeção está a atingir gente mais jovem e os sintomas causam maior sofrimento. O que pede é que as pessoas cumpram as medidas decretadas pelo Governo.

FOZ - Guadiana Digital

FOZ - Guadiana Digital