Economia foz-destaques

União Europeia insiste em carregador universal

carregadores
Apesar de há muitos anos estar na ordem do dia, a criação de um carregador universal para telemóveis ainda vem longe.

Apesar de há muitos anos estar na ordem do dia, a criação de um carregador universal para telemóveis ainda vem longe.

Agora e novamente, a Comissão Europeia, aproveitando a acção conjunta dos 27 países que formam a UE em torno da compra das vacinas e do PRR, parece estar decidida a colocar um ponto final nesta questão e acabar com o desconforto dos cidadão que enfrentam a compra de carregadores de todos os tamanhos e feitios e harmonizar o formato do interface de carga em torno de um único modelo.

A proposta apresentada esta semana pela Comissão ao Conselho e ao Parlamento Europeu, vai alterar uma diretiva do ano de 2014 e pode fazer com que todos os dispositivos comercializados na União Europeia sejam compatíveis com um carregador USB-C. Para os equipamentos que requerem mais potência e voltagem, a proposta é a da utilização da tecnologia padrão USP-PD.

A iniciativa é do comissário da Indústria e Mercado Interior, Thierry Breton e destina-se a acabar com a obrigatoriedade de comprar o carregador no momento da compra do dispositivo eletrónico. Em Bruxelas, calcula-se que tal vai trazer uma poupança aos consumidores europeus da ordem dos 250 milhões de euros. É claro que, a implementação da medida, vai demorar e contará com a resitência das empresas, em especial da Apple que não utiliza aquele tipo de carregadores.

Em 2018, os carregdores foram responsáveis pela formação de onze mil toneladas de resíduos eletrónicos, com emissões associadas de seiscentas quilotoneladas de CO2, informou a Comissão Europeia.

pub.

Autárquicos

Classificação

Classificação

X